Carlos Bahia

Rebelião deixa quatro mortos em penitenciário do Maranhão

Os deputados oposicionistas Bira do Pindaré (PSB), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Othelino Neto (PCdoB) e Eliziane Gama (PPS) ocuparam a tribuna, na manhã desta quarta-feira (18), para pedir medidas enérgicas do Governo do Estado contra o agravamento da crise no sistema penitenciário do Maranhão.

eliziane-gama

Eliziane criticou governo Roseana por crise no sistema penitenciário do Maranhão.

Bira do Pindaré foi o primeiro a criticar o governo, responsabilizando-o pela barbárie no Sistema Penitenciário de Pedrinhas. “É impressionante como essa tragédia se repete e os requintes de crueldade são os mesmos, porque são pessoas mortas com suas cabeças decepadas”, afirmou o deputado, frisando que o Maranhão vive uma situação de falência absoluta do Sistema Penitenciário.

“É uma tragédia que se repete porque, há menos de 60 dias, nós tivemos a maior rebelião de todas e agora, mais uma vez, foram anunciadas quatro mortes, sendo que três pessoas tiveram suas cabeças decepadas. E agora pela manhã, acompanhando nas redes sociais, informaram que mais uma pessoa teria sido morta, totalizando, portanto cinco, mas são números a serem confirmados”, ponderou Bira do Pindaré.

Ele acrescentou que toda a sociedade espera que estes acontecimentos não fiquem no esquecimento e que o governo faça a sua parte: “Porque a sociedade continua assustada, com medo e em pânico, vendo a qualquer momento esses muros serem desmoronados e a população ficar exposta a sua própria sorte”, advertiu o parlamentar do PSB.

O líder da Oposição, deputado Rubens Pereira Júnior, abordou o assunto sugerindo que ocorra uma federalização do sistema prisional do Maranhão.

“Há uma situação de caos em Pedrinhas. Há cerca de um mês nove pessoas foram assassinadas e o governo nada fez em definitivo para mudar a situação. Anunciaram construções de presídios, chamaram a Força Nacional e nada resolveu minimamente o problema”, assinalou Rubens Júnior.

Ele acrescentou que, para resolver o problema da barbárie instalada dentro de um prédio público estadual sob a responsabilidade do Estado, o caminho é federalizar o Sistema Penitenciário do Maranhão.

“Para a melhoria da Segurança Pública, a governadora Roseana Sarney afastou o comandante da Polícia Militar. Melhorou, a tropa hoje já tem mais disposição para estar na rua. Agora, não fez absolutamente nada em relação ao Sistema Penitenciário. O caminho é só um: federalizar isso tudo. Primeira coisa, transferir os principais presos para os presídios federais, em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, onde quer que existam. De nada adianta deixar esses bandidos se digladiando dentro de Pedrinhas”, enfatizou Rubens Júnior.

O deputado Othelino Neto observou que, quando o assunto é a crise no sistema penitenciário do Estado, os parlamentares governistas ficam tentando colocar a culpa nos governos anteriores. Para Othelino, é a governadora Roseana Sarney a culpada pelo fato de Pedrinhas não ter condições de manter a integridade física dos presos e nem de evitar as constantes fugas de detentos.

Othelino teceu comentários sobre o discurso do deputado Magno Bacelar (PV), que disse haver estranheza no fato de os presos, a cada rebelião, deceparem a cabeça de desafetos, como forma de chamar a atenção da sociedade.

1461154_566429800098848_1645515320_n

Rebelião ocorrida ontem, em Pedrinhas, deixou quatro mortos.

“O deputado Magno Bacelar levanta uma suspeita muito grave, e que não dá para ficar meramente em pequenos recados, tem que se dizer o quê, e quem é. Qual é a suspeita? Ele precisa formalizar isso, porque assim a sociedade vai olhar com atenção ou, de outra forma, vai ficar parecendo que o deputado Magno está apenas tentando defender o governo como sempre o faz, mas, dessa vez, tentando defender fazendo pouco caso de um problema tão sério quanto este da penitenciária de Pedrinhas”, assinalou Othelino Neto.

A deputada Eliziane Gama frisou que o sistema prisional do Maranhão está chegando a uma situação insustentável. “As reiteradas rebeliões que têm acontecido no Sistema Prisional do Maranhão têm se tornado uma prática comum no nosso Estado. Ao mesmo tempo também, têm se tornado uma prática comum no nosso estado as decapitações. Parece que o Maranhão se especializou nisso. O Sistema Prisional do nosso Estado, que é falido, naturalmente como não é uma realidade apenas no Maranhão, diga-se de passagem, mas o que está acontecendo no nosso Estado é uma situação insustentável”, ressaltou a deputada.

Fonte: marrapa.com