Eleições 2018: Bezerra já começa a criticar o governador

 

Depois da polêmica gerada devido à filiação ao PMDB, o senador Fernando Bezerra Coelho afirmou que seu filho, o atual ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, que ainda está no PSB, é um potencial candidato para a disputa ao governo do estado em 2018. Em entrevista à Rádio Jornal, nesta sexta-feira, Bezerra Coelho destacou que Fernando Filho é um quadro “promissor” e o trabalho à frente da pasta o credencia para liderar a chapa majoritária do próximo ano. O ex-socialista ainda disparou críticas a seu antigo partido, afirmando que, desde o início da gestão do governador Paulo Câmara (PSB), não houve diálogo com o seu grupo político e antecipou parte do discurso que será utilizado pela oposição no estado.
“Ele é um quadro promissor pelo trabalho que vem desenvolvendo à frente do ministério, tendo o reconhecimento dos setores da área de energia, petróleo, gás, mineração, e pelo trabalho de reestruturação de um setor que é importante para o desenvolvimento nacional”, disse o senador, destacando, no entanto, que o candidato ao governo ainda será escolhido.
A fala do senador não foi bem recebida dentro do PSB. O deputado federal Danilo Cabral, por exemplo, defendeu a saída imediata de Fernando Filho dos quadros socialistas. “Que ele deixe de imediato o partido ou que o PSB o expulse. Não podemos esperar a janela partidária com um traidor dentro do partido”, disparou o parlamentar, reforçando que o grupo político de Bezerra Coelho representa o governo do presidente Michel Temer (PMDB).
O presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira, afirmou que o caso do ministro já está em análise na comissão de ética – Fernando Filho responde a processo por ter votado a favor da reforma trabalhista na Câmara dos deputados. “Quando a comissão concluir a instrução do processo, vai apresentar o relatório ao diretório nacional. Não posso falar sobre algo que não está nas minhas mãos”, ponderou.
Ainda durante a entrevista, Bezerra Coelho lembrou que, assim como ele, outras lideranças socialistas, entre elas Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, são alvo de investigação no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF). O peemedebista afirmou que tem convicção de que os processos serão arquivados ao fim das investigações. “Nós temos tranquilidade em relação aos atos do governador. Não sei se ele tem tranquilidade em relação aos atos dele”, rebateu Danilo.
Bezerra Coelho deixou claro que o palanque da oposição em Pernambuco, cuja articulação passa ainda por DEM, PSDB e PDT, será formada por aqueles “que tiveram a coragem de fazer as mudanças que o Brasil estava reclamando”. Ele minimizou a impopularidade de Michel Temer e disse que a frente política que está em construção vai “apresentar a melhor proposta e os melhores quadros para oferecer uma melhor perspectiva para toda gente pernambucana”.
Fonte: Blog do Magno 

Papa fere o rosto em acidente na Colômbia: “Me deram um soco”

O Papa Francisco sofreu um pequeno corte no supercílio durante uma freada do papamóvel, que o transportava por um bairro da cidade colombiana de Cartagena, neste domingo (10). O pontífice de 80 anos saudava centenas de fiéis no bairro de San Francisco no momento do acidente.
A freada fez com que ele batesse com o rosto contra o vidro do papamóvel. Um dos seguranças ajudou o Papa e limpou o sangue do machucado com um lenço. “Me deram um soco”, brincou o Papa ao ser questionado, mais tarde, por jornalistas.
Apesar do acidente, Francisco, que encerra neste domingo sua visita de cinco dias à Colômbia, continuou o trajeto de 3,5 km até a praça central de San Francisco, um dos bairros mais pobres de Cartagena.
Quase 1,3 milhão de pessoas reuniram-se a uma missa pelo Papa Francis no sábado na cidade colombiana conhecida como a fortaleza do senhor da droga, o narcotraficante Pablo Escobar.
Fonte: Blog Edenevaldo Alves.

Ronaldo Silva alfineta Adalberto Cavalcanti sobre famílias do Pontal

O vereador Ronaldo Silva (PSDB) e o deputado federal Adalberto Cavalcanti (PTB) bateram boca na última sexta feira(8), numa emissora de rádio em Petrolina, por causa do impasse envolvendo as quase 900 famílias do Projeto Pontal, ameaçadas de despejo por uma reintegração de posse impetrada pela 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf.
Ronaldo não gostou do posicionamento de Adalberto em defender a permanência das famílias na área, que pertence ao órgão federal. O vereador justificou que as terras do Pontal, onde as famílias estão acampadas, serão trabalhadas pela Codevasf conforme modelo idealizado pelo ex-deputado Osvaldo Coelho. Ou seja, dando oportunidade aos agricultores de ter seu lote e prosperar, ao contrário da Parceria Público-Privada (PPP), idealizado na gestão petista, que “tirava do pobre para dar ao rico. O Pontal vai ser a continuidade do Projeto Senador Nilo Coelho e do Maria Tereza”, argumentou.
O vereador lembra que o distrato da PPP, inclusive, já aconteceu, graças à união de forças dos principais integrantes da Família Coelho – o senador Fernando Bezerra e seu primo Guilherme (filho de Osvaldo). Já Adalberto, segundo Ronaldo, “nunca colocou um Real de emenda para a irrigação”,não só de Petrolina, mas da região. “Ele foi bem votado em Santa Maria, onde tem o Projeto Caraíbas, e em Orocó, onde existe o Brígida. Mas o deputado sempre se preocupou em fazer política pequena, de assistencialismo”, cutucou Ronaldo, numa entrevista a este Blog.
Como se não bastasse, segundo o vereador, o deputado ainda incentiva pessoas humildes do sequeiro a ocupar terras que não são suas. “Se ele quer dar terra ao povo, ele tem uma fazenda para o lado de Afrânio (PE). Que ele pegue essas famílias e leve todos para lá”, completou.
Fonte: Blog do Carlos Britto.

Ministro do STF autoriza prisões de Joesley Batista e Ricardo Saud

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Edson Fachin, autorizou a prisão temporária dos delatores da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud. A decisão foi tomada a partir do pedido de prisão apresentado, na última sexta (8), pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
O chefe do Ministério Público havia pedido, ainda, a prisão do ex-procurador da República Marcello Miller. Neste caso, o ministro do STF não autorizou a prisão.
A ordem de Fachin não significa que as prisões ocorrerão na manhã deste domingo (10), como, normalmente, acontece com as execuções realizadas pela Polícia Federal (PF). As prisões podem ocorrer ao longo do dia ou até mesmo nesta segunda-feira (11).
Em relação aos delatores, a prisão foi autorizada porque eles são suspeitos de omitir informações dos investigadores, o que quebra cláusulas do acordo.
Procurador
No caso de Marcello Miller, a suspeita é de que ele teve uma conduta criminosa ao atuar para a J&F enquanto ainda integrava o Ministério Público. Miller se desligou da carreira de procurador somente em abril, mas, na polêmica gravação entre Joesley e Saud aparentemente gravada por descuido, os dois delatores sugerem que o ex-auxiliar de Janot auxiliou os executivos do grupo empresarial a negociarem os termos da delação premiada com a PGR.
Fonte: G1 Brasília

Ciclista morre após ser atropelado por motocicleta no Bairro Rio Corrente

Um acidente terminou de forma trágica, na tarde de ontem (9), no Bairro Rio Corrente, zona oeste de Petrolina. Um ciclista morreu após ser atingido violentamente pelo condutor de uma motocicleta.
A vítima é Adilson Leandro dos Santos, de 30 anos. Segundo boletim do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), ele transitava de bicicleta pela Avenida 1, quando recebeu o impacto da colisão. Uma equipe do Samu foi acionada, mas quando chegou ao local Adilson já estava morto.
O motociclista, identificado por Sebastião Dantas dos Santos, 42, evadiu-se após o fato. Sua esposa, que vinha na garupa, ficou e prestou esclarecimentos à polícia. O corpo do ciclista foi removido ao Instituto Médico Legal (IML).
Fonte: Blog do Carlos Britto.

Geddel Vieira Lima é levado para presídio após prestar depoimento à PF

 

 

O ex-ministro Geddel Vieira Lima concluiu seu depoimento na Superintendência da Polícia Federal (SPF), em Brasília, na noite desta sexta-feira, e, após fazer exame de corpo de delito, foi levado para o Complexo Penitenciário da Papuda, também na capital federal.
Geddel foi preso preventivamente, na casa em que mora e onde cumpria prisão domiciliar em Salvador. A prisão foi determinada pelo juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, em uma nova fase da Operação Cui Bono, que investiga fraudes na Caixa Econômica Federal.
A prisão do ex-ministro ocorreu após a Polícia Federal encontrar R$51 milhões de reais em dinheiro em um apartamento de um amigo do político. O dinheiro apreendido já foi depositado em conta judicial.
Além dele, também foi preso preventivamente o chefe da defesa civil de Salvador, Gustavo Ferraz, que foi exonerado do cargo.
A defesa do ex ministro informou por meio de nota que só vai se manifestar quando que tiver acesso aos autos e documentos que embasaram a prisão.
Fonte: Agência Brasil.

Dirceu diz preferir morrer a delatar como Palocci

 

O ex-ministro José Dirceu fez um contraponto entre a sua situação e a do também ex-ministro Antonio Palocci, aponta a colunista Mônica Bergamo.
Segundo ele, é melhor morrer do que perder a dignidade e se tornar delator; Dirceu também afirmou que Palocci sempre batalhou pelos próprios interesses – e não por uma causa coletiva.
“Só luta por uma causa quem tem valor. Os que brigam por interesse têm preço. Não que não me custe dor, sofrimento, medo e às vezes pânico. Mas prefiro morrer que rastejar e perder a dignidade”, afirmou
Dirceu, condenado na Operação Lava Jato, disse ainda que prefere “morrer” antes de delatar.
Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre o depoimento de Palocci:
Daniel Isaia – Correspondente da Agência Brasil
O ex-ministro Antônio Palocci disse hoje (6) que a Odebrecht adquiriu um apartamento em São Bernardo do Campo para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e um terreno para a construção do Instituto Lula, como compensação pelas vantagens que a empresa recebeu durante o governo do petista. Ele depôs diante do juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, na condição de réu da ação penal da Opereção Lava Jato que apura estes fatos, apresentados em denúncia do Ministério Público Federal (MPF).
“Eu queria dizer, a princípio, que a denúncia procede. Os fatos narrados nela são verdadeiros. Eu diria apenas que os fatos narrados nessa denúncia dizem respeito a um capítulo de um livro ainda maior de um relacionamento da Odebrecht com o governo do ex-presidente Lula e da ex-presidente Dilma, que foi uma relação bastante intensa, bastante movida a vantagens dirigidas à empresa, a propinas pagas pela Odebrecht para agentes públicos em forma de doação de campanha, em forma de benefícios pessoais, em forma de caixa 1 e caixa 2”, disse Palocci ao iniciar o depoimento. “E eu tenho conhecimento porque participei de boa parte desses entendimentos na qualidade de ministro da Fazenda do presidente Lula e ministro da Casa Civil da presidente Dilma”.
O ex-ministro detalhou, ainda, como as diretorias da Petrobras foram divididas entre os três principais partidos que compunham o governo durante as administrações petistas. “Na Diretoria de Serviços, [ficou] o PT, na Diretoria Internacional, o PMDB, e na Diretoria de Abastecimento, o PP. Desenvolveu-se uma relação de intenso financiamento partidário de políticos, pessoas, empresas. Esse foi um ilícito crescente na Petrobras, até porque as obras cresceram muito e, com elas, os ilícitos”, disse.
Palocci também disse a Moro que conversava com Lula sobre essas relações. Ele narrou como foi questionado pelo ex-presidente em 2007 se estaria havendo “muita corrupção” nas diretorias de Serviços e de Abastecimento.
Segundo o ex-ministro, a Odebrecht repassou R$ 4 milhões em espécie ao Instituto Lula como propina. Palocci disse ainda que a empreiteira havia disponibilizado uma reserva de R$ 300 milhões em propina ao PT, e que o ex-presidente sabia se tratar de “dinheiro sujo”.
Dilma
Antônio Palocci contou que havia uma desconfiança da Odebrecht quanto à eleição da ex-presidente Dilma Rousseff. Ele narrou uma reunião que teria ocorrido no dia 30 de dezembro de 2010 entre Lula e Emílio Odebrecht, dono da empreiteira.
“Nessa reunião, o presidente Lula leva Dilma, presidente eleita, para que ele diga a ela das relações que ele tinha com a Odebrecht e que ele queria que ela preservasse o conjunto daquelas relações em todos os seus aspectos, lícitos e ilícitos”, contou o ex-ministro. Ele disse que não estava na reunião, mas que ficou sabendo dela através de Lula.
Em seguida, Palocci disse que a Odebrecht foi beneficiada durante o governo Dilma em algumas situações. A pedido do juiz Sérgio Moro, o ex-ministro citou como exemplo que a empreiteira desejava assumir a administração de um aeroporto de grande porte e havia perdido as licitações para concessão dos aeroportos de Guarulhos, Campinas e Brasília. Segundo ele, a licitação do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, foi direcionada para que a empreiteira vencesse o certame. “Havia uma cláusula que impedia o vencedor da licitação de Cumbica de participar da licitação do Galeão em condições livres. Isso foi colocado por solicitação da Odebrecht”, contou.
Detido em Curitiba
O ex-ministro está detido na carceragem da Polícia Federal (PF) de Curitiba. Ele já foi condenado em outra ação penal da Lava Jato a 12 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Neste processo, o Ministério Público Federal (MPF) afirma que o Grupo Odebrecht comprou um terreno no valor de R$ 12,4 milhões para a construção do Instituto Lula — obra que não chegou a ser executada. Ainda segundo a denúncia, o ex-presidente também recebeu como vantagem indevida da empreiteira uma cobertura vizinha ao apartamento onde mora, em São Bernardo do Campo.
O depoimento do ex-presidente Lula nesta ação penal está marcado para o dia 13 de setembro.
Outro lado
O Instituto Lula, em sua página no Facebook, divulgou uma nota em que diz que o depoimento de Antonio Palloci é contraditória “ com outros depoimentos de testemunhas, réus, delatores da Odebrecht e provas e que só se compreende dentro da situação de um homem preso e condenado em outros processos” e que busca negociar com o MPF e com o juiz Sérgio Moro um acordo de delação premiada “que exige que se justifique acusações falsas e sem provas contra o ex-presidente Lula”.
“Palocci repete o papel de réu que não só desiste de se defender como, sem o compromisso de dizer a verdade, valida as acusações do Ministério Público para obter redução de pena e que no processo do tríplex foi de Léo Pinheiro”, diz a nota.
A nota também diz que a acusação do Ministério Público usa o argumento de que o terreno teria sido comprado com “com recursos desviados de contratos da Petrobrás” só para poder ser julgado dentro do âmbito da Operação Lava Jato pelo juiz Sérgio Moro e que “não há nada no processo ou no depoimento de Palocci que confirme isso”. Também cita que Palocci falou de uma série de reuniões onde “não estava e de outras onde não haveriam testemunhas de suas conversas. Todas falas sem provas.”
O Instituto Lula reafirma, na nota, que jamais solicitou ou recebeu qualquer terreno da Odebrecht e que nunca teve outra sede além daquela em que instituto funciona atualmente. Lula reafirmou que “jamais cometeu qualquer ilícito nem antes, nem durante, nem depois de exercer dois mandatos de presidente da República eleito pela população brasileira.”
Em nota divulgada na quinta-feira (7) à imprensa, a assessoria da ex-presidente Dilma Rousseff classifica as declarações do ex-ministro como “mentira” e “ficção”. “Todo o conteúdo das supostas conversas descritas pelo senhor Antonio Palocci com a participação da então ministra Dilma Rousseff – e mesmo quando ela assumiu a Presidência – é uma ficção. Esta é uma estratégia adotada pelo delator em busca de benefícios da delação premiada”, diz a nota.
Sobre as regras para concessão de aeroportos no país, a nota esclarece que a decisão do governo Dilma de não permitir que um consórcio ou empresa ganhasse mais de um aeroporto foi criada para gerar concorrência entre as empresas concessionárias de aeroportos: “Buscou-se evitar que, caso uma empresa tivesse a concessão de dois aeroportos, priorizasse um em detrimento do outro. O governo Dilma buscava atrair mais empresas para participar do sistema aeroportuário, garantindo que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), como órgão regulador, tivesse mais parâmetros para atuar”
 Fonte: 247

Sintea envia Nota de Esclarecimento ao Blog

NOTA DE ESCLARECIMENTO
Caros companheiros de luta e categoria da Educação de Afrânio, o SINTEA, Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Afrânio, vem respeitosamente deixar CLARO e CIENTE que nunca houve acordo para reposição de aulas na data de 07.09 do ano em curso. DATA ESTA QUE JAMAIS SERIA ACEITA EM NEGOCIAÇÃO, PARA REPOSIÇÃO DE AULA ATÉ PORQUE É UM DIA EM QUE SE COMEMORA A INDEPENDENCIA DO NOSSO PAÍS.
O SINTEA fez a comunicação através do oficio 012/2017 em relação a decisão em aderir à Greve Geral Nacional e posteriormente negociar a data de reposição. Vale salientar que, em momento algum a Secretária de Educação convocou o citado sindicato para discutir essa reposição, onde qualquer decisão a ser tomada seria levada para apreciação em assembleia geral com a categoria pois tudo é repassado e decidido em votação.
O SINTEA não decide nada sozinho. Somos um grupo em defesa de uma política educacional que sempre está aberto para ouvir e debater a melhor maneira de termos uma educação de qualidade e valorização profissional.
Ressaltando ainda que, o texto abaixo refere-se ao citado oficio enviado e recebido tanto pela Secretaria de Educação e Poder Executivo: “O SINTEA, juntamente com a CNTE chama a todos os trabalhadores e trabalhadoras de educação de todo o país para participarem da Greve Geral Nacional, convocada pela CUT e demais centrais sindicais, no próximo dia 28 de abril”. Portanto eis aqui o nosso real esclarecimento.
Sem mais para o momento, agradecemos a compreensão e atenção ao tempo em que renovamos os votos de estima e considerações.
SAUDAÇÕES SINDICAIS
SINTEA

Univasf retifica edital de concurso público para professor efetivo

O Edital Nº 16/2017, referente ao Concurso Público para Professor da Carreira de Magistério Superior, com cargo efetivo da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), foi retificado. Na retificação, foi incluída mais uma vaga para docente no Campus Juazeiro (BA), na área de Geotecnia. Além disso, a formação acadêmica exigida para a vaga de Engenharia Financeira, já prevista no edital, foi retificada. Com esta alteração, graduados em Ciências Contábeis ou Economia também podem concorrer à vaga.
As inscrições permanecem abertas até as 18h do dia 15 de setembro e devem ser realizadas exclusivamente através do site de Concursos da Univasf. A taxa de inscrição varia entre R$ 100,00 e R$ 200,00, a depender do regime de trabalho.
Ao todo, são disponibilizadas 17 vagas por meio deste edital, para vários cursos de graduação da Univasf, ofertados nos campi Sede e Ciências Agrárias, em Petrolina (PE), Juazeiro (BA), e Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato (PI). Podem participar do processo seletivo candidatos portadores de diploma de graduação que tenham cursado pós-graduação Lato sensu ou Stricto sensu nas áreas exigidas.
As vagas ofertadas são para as classes Auxiliar, Assistente A e Adjunto A, nível I, com regime de trabalho de 20 horas e Dedicação Exclusiva (DE), que variam de acordo com o perfil das vagas. O vencimento básico é de R$ 2.236,30 para regime de trabalho de 20 horas e de R$ 4.455,22 para DE. Estes valores são acrescidos da retribuição por titulação, conforme quadro da remuneração. Outras informações sobre o concurso podem ser consultadas no edital.
Fonte: Blog Edenevaldo Alves

Juazeiro: Vaporzinho volta a ser alvo de vandalismo

 

O vapor Saldanha Marinho, conhecido como “Vaporzinho”, voltou a ser alvo de vandalismo em Juazeiro (BA). As lâmpadas estão quebradas, o painel decorativo foi rasgado e os refletores, que iluminavam o monumento, foram roubados.
Quando anoitece, o local é fechado com um cadeado, mas isso não impede a ação dos vândalos.
Em nota, a Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esporte, responsável pela manutenção do “Vaporzinho”, disse que vai instalar mais duas câmeras de vídeo para monitoramento. Disse ainda que colocará guardas municipais para fazer a segurança do local.
Fonte: Blog do Carlos Britto.