Na Câmara, Jarbas acusa FBC de traição por briga no PMDB

Na briga do PMDB, Jarbas Vasconcelos acusa Fernando Bezerra Coelho de traição / Foto: divulgação

 

Em um duro pronunciamento no plenário da Câmara Federal, o deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB) acusou o senador Fernando Bezerra Coelho, recém-filiado ao PMDB, de traição. FBC entrou no partido com a promessa do presidente nacional da sigla, o senador Romero Jucá, de que poderia levar o partido para a oposição e lançar uma candidatura ao governo do Estado, provavelmente do ministro Fernando Filho (PSB), de Minas e Energia. Procurada, a assessoria do senador disse que ele não responderia o discurso do ex-governador.
Jarbas iniciou seu discurso afirmando que há uma “tentativa sórdida” de calar sua voz. “A manobra ardilosa que pretende me atingir está sendo maquinada pelo senador Fernando Bezerra Coelho que diz está seguindo orientação da presidência nacional do PMDB, do senador Romero Jucá”, disparou. O ex-governador chamou Fernando, então, de “adesista de ocasião”, defendeu a legitimidade do diretório estadual, presidido pelo vice-governador Raul Henry, que pode ser dissolvido por Jucá e prometeu resistir e não se curvar diante da mesquinharia de homens que usufruem de um poder efêmero e frágil.
“Percebi que Fernando Bezerra está trabalhando para intervir no PMDB de Pernambuco. Ao meu gesto cordial de elogiar a ele e ao seu filho ministro, o senador Fernando Bezerra Coelho respondeu com desrespeito e prepotência. O ato dele tem nome: traição”, atacou. Disse que FBC está interessado num palanque para si e para os filhos e que pretende transformar o partido numa extensão familiar dos seus interesses.
“Em várias situações, exatamente por conta do meu pensamento e da minha coerência, fui atacado dentro do meu próprio. Do partido que ajudei a criar. Mas mesmo diante das divergências nunca houve uma ação voltada para me expulsar ou punir. Sempre houve o respeito às diferenças. Respeito! Condição primária para a convivência em qualquer ambiente e que faltou e está faltando a Fernando Bezerra Coelho”, lamentou Jarbas.
TEMER
Buscando rebater o argumento que pode ser usado pela Executiva Nacional contra sua permanência no comando do PMDB-PE, Jarbas fez questão de descrever sua situação com o governo Michel Temer. Disse ter apoiado o presidente e as reformas. Garantiu que o voto pela continuidade da denúncia contra Temer não foi um “pré-julgamento”. “Votei pela investigação porque ao longo da minha vida pública sempre defendi a apuração de denúncias”, explicou.
Mirando FBC, ele lembrou que esteve na oposição durante todos os governos do PT. “A maioria dos que hoje pretendem me expulsar do PMDB apoiou os governos que hoje criticam. Foram cumplices nos malfeitos. Eu mantive a minha coerência. Não titubeei. Não tergiversei. Paguei um preço político por isso mas não me arrependo um segundo sequer”, atiçou.
Recuperando-se de uma sinusite, Jarbas tossiu algumas vezes durante o discurso. Os deputados que já estavam no plenário da Câmara pararam para ouvi-lo, em silêncio. O peemedebista também foi aplaudido ao final de sua fala.
Fonte: JC Online

Comissão aprova limite de doações de 10% da renda bruta para campanha eleitoral

Brasília - Comissão de Reforma Politica, continua a votação do relatorio do deputado, Vicente Cândido (Valter Campanato/Agência Brasil)

 

 

A Comissão Especial da Câmara aprovou ontem (12) o teto de doações para campanha eleitoral em 10% da renda bruta do doador, desde que não ultrapasse 10 salários mínimos, para cada candidato na disputa. Uma mesma pessoa pode doar para um candidato a senador, deputado estadual, deputado federal, governador e presidente da República na mesma eleição.
Esse limite para as doações consta do texto-base da reforma política apresentado pelo relator, deputado Vicente Cândido (PT-SP), e aprovado pela comissão especial que analisa as regras infraconstitucionais da reforma política.
O PSDB tentou, em destaque rejeitado em votação no colegiado, aumentar o limite de doações de pessoas físicas para 32 salários mínimos para cada cargo em disputa, mantendo o teto de 10% da renda do doador. Outro destaque rejeitado pela comissão, de autoria do PT,  estabelecia que o teto de 10% da renda ou 10 salários mínimos deveria valer para o total de cargos em disputa e não para doações destinadas a cada cargo.
Outro ponto rejeitado pela comissão propunha que a distribuição do tempo de rádio e TV entre os partidos políticos para as campanhas eleitorais fosse proporcional ao tamanho das atuais bancadas na Câmara e no Senado e não das bancadas eleitas na última eleição, como determina a Lei dos Partidos (9.504/97). O assunto não havia sido incluído no texto pelo relator. O DEM fez a sugestão à comissão, mas a proposta foi recusada.
O plenário volta a analisar hoje a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, que altera o sistema eleitoral atual e propõe a adoção de um novo sistema (distritão, distrital misto) e institui um fundo com recursos públicos para custear campanhas. Algumas das propostas que constam do projeto aprovado hoje pela comissão especial ainda dependem de aprovação da PEC em analise no plenário.
Fonte: Agência Brasil.

Doação na conta de água pode ajudar organizações sociais de Pernambuco

 

 

A partir de R$ 1,00 é possível apoiar entidades como Hospital de Câncer, Movimento Pró-Criança e Fundação Terra
Os 2 milhões de clientes da Compesa podem contribuir com organizações sociais que estão trabalhando para melhorar a qualidade de vida dos pernambucanos. Para colaborar, é preciso aderir a Campanha Conta Comigo lançada hoje (12) e que  viabiliza a doação mensal por meio da conta de água nos valores de R$ 1,00, R$ 2,50, R$ 5,00 ou R$ 10,00. Os recursos captados são repassados integralmente para as três entidades amparadas pela campanha: Hospital de Câncer, Movimento Pró-Criança e a Fundação Terra. O cliente pode, inclusive, destinar sua doação para uma ou até as três organizações. A participação é efetivada por um termo de adesão que deve ser preenchido e assinado pelo cliente titular da conta de água autorizando a companhia a cobrar a doação. O cadastro pode ser feito no endereço http://servicos.compesa.com.br/campanha-conta-comigo/ ou nas lojas de atendimento da Compesa.
A campanha fortalece a Compesa como uma empresa cidadã e tem a iniciativa de normatizar, organizar e ampliar a parceria que a companhia já vem mantendo com essas instituições, nos últimos anos, captando as doações dos clientes na fatura de água. O Hospital de Câncer foi o primeiro a iniciar esse trabalho com a Compesa no ano de 2006. Depois, em 2009, o Movimento Pró-Criança passou a receber as doações pela conta de água e, em 2016, a Fundação Terra, sediada em Arcoverde, também firmou um convênio. Só de 2013 até julho de 2017, foram repassados para as três instituições juntas cerca de R$ 9 milhões doados pelos clientes nas faturas. Hoje, cerca de 98% dos doadores ativos são clientes residenciais. Outra boa notícia do Conta Comigo é que agora outras organizações sociais do Estado podem ser beneficiadas com a captação de recursos via conta de água, caso atenda os critérios de participação estabelecidos pela campanha, como ser reconhecida como uma entidade de utilidade pública municipal ou estadual e ser portadora da Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social.
Conta Comigo também prevê contrapartidas das entidades, que irão se envolver com a Compesa em ações educativas, socioambientais e de prevenção e cuidado com a saúde promovidas nas comunidades e também com os colaboradores da companhia. As organizações também deverão entregar à Compesa relatórios de prestação de contas, contendo informações sobre o uso das doações, para publicação em veículos de grande circulação. “Essa campanha possibilita que todos possam contribuir, nem que seja com um pouquinho, para o trabalho dessas instituições que estão melhorando a sociedade que vivemos, e que estão precisando de apoio. Estamos muito felizes, a companhia está fazendo a sua parte em benefício das pessoas e do meio ambiente”, afirmou o presidente da Compesa, Roberto Tavares, durante o lançamento da campanha, no Centro Administrativo Eduardo Campos, em Santo Amaro, que contou com a participação da diretoria da Compesa e de representantes das três organizações sociais.
“Além de realizar o abastecimento e fazer a coleta e tratamento do esgoto, estamos realizando essa campanha para que os clientes visualizem na conta de água também um bem social para Pernambuco”, pontua o diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, Aldo Santos. O Hospital de Câncer conta com as doações para ajudar no atendimento a 40% dos casos da doença no Estado. Por dia, o hospital realiza 1,2 mil procedimentos e serve 2 mil refeições para os pacientes e acompanhantes. “Uma das ações mais importantes é o trabalho de prevenção à doença, que é feito pelos nossos voluntários nas áreas rurais e dentro das empresas. Com o diagnóstico precoce, aumenta muito as chances de cura do câncer e diminui o sofrimento para o paciente e para as famílias”, informou Cláudia Barbosa, superintendente administrativa do Hospital de Câncer.
Crianças – O lançamento da campanha contou com as apresentações do Maracatu Sinhá da Terra, mantido pela Fundação Terra e formado por crianças e jovens, com idade entre seis e 22 anos, da comunidade “Rua do Lixo” de Arcoverde, e também do Coral do Movimento Pró Criança. Esta última entidade atende 2,5 mil crianças em situação de vulnerabilidade social em Pernambuco, todos os meses. “O Movimento é mantido basicamente pelas doações captadas nas contas de água e de energia. Só na Compesa temos mais de 120 mil doadores. Se chegarmos a 400 mil, podemos virar um case mundial nesse sentido, mas o que a Compesa está fazendo por nós já é uma ajuda sem tamanho”, conta Sebastião Campelo, presidente do Pró-Criança.
A Fundação Terra atua em 35 municípios do Sertão do Estado, e também em Maracanaú, no Ceará, com ações sociais, de educação e saúde, como o atendimento no Centro de Reabilitação Mens Sana, credenciado pelo Sistema Único de Saúde, que oferece tratamento para pacientes com dificuldades intelectuais, motoras, visuais e auditivas, e também que apresentam doenças degenerativas ou congênitas, como a microcefalia. O Mens Sana, aliás, é reconhecido como um centro de referência para tratamento dos bebês nascidos com microcefalia em decorrência do zika vírus. “Nós comemoramos esse convênio porque ele amplia os meios de doação para Fundação Terra”, disse o presidente da entidade, Padre Airton Freire, lembrando que a entidade completou 33 anos na última sexta-feira (8).

STF julga pedido de suspeição de Janot para atuar nas investigações sobre Temer

STF - Supremo Tribunal Federal (Valter Campanato/Agência Brasil)
 

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar hoje (13) pedido feito pela defesa do presidente Michel Temer para seja declarada a suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para atuar nas investigações relacionadas ao presidente. A sessão está prevista para começar às 14h.
Durante o julgamento, a Corte também deve deliberar sobre a validade das provas obtidas a partir dos acordos de delação premiada do empresário Joesley Batista, dono da JBS, preso nesta semana após a Procuradoria-Geral da República (PGR) abrir procedimento de revisão da colaboração.

Saiba Mais

Além disso, deve ser discutido outro pedido da defesa de Temer para suspender uma eventual denúncia contra o presidente, a ser apresentada por Janot, que deixará o cargo na próxima segunda-feira (18) e será sucedido por Raquel Dodge.
No pedido de suspeição, o advogado Antônio Mariz, representante de Temer, reafirma que, nos casos envolvendo o presidente, Janot está impedido de conduzi-los por extrapolar os “limites constitucionais e legais inerentes ao cargo que ocupa”.
“No afã de envolver o senhor presidente da República em fatos incertos e não determinados, uma série de ‘certezas’ foi lançada pelo chefe do parquet [Ministério Público], que dificultou sobremaneira uma análise isenta e desprovida de influências que só agora tem vindo à tona, sendo certo que toda a contextualização ora sintetizada, mas amplamente esmiuçada na exordial, evidencia a clara suspeição do dr. Rodrigo Janot para a condução, no âmbito do Ministério Público Federal, de casos envolvendo o ora agravante [Temer]”, sustenta a defesa.
Na ação, a defesa de Temer também cita uma palestra na qual Janot disse que “enquanto houver bambu, lá vai flecha”, fazendo referência ao processo de investigação contra o presidente.  “Parece pouco interessar ao procurador se o alvo a ser atingido, além da pessoa física de Michel Temer, é a instituição Presidência da República, as instituições republicanas, a sociedade brasileira ou a nação”, afirma o defensor.
Antes de chegar ao plenário, o pedido de suspeição de Janot foi rejeitado individualmente pelo relator, ministro Edson Fachin. Ao apresentar defesa no caso, Janot disse que as acusações dos advogados de Temer são “meras conjecturas”.
Na resposta, o procurador também afirmou que atua com imparcialidade no caso que envolve Temer. “A arguição de suspeição somente procede quando robusta prova a demonstra insofismavelmente. Não merece acolhida quando expressa por meio de meras conjecturas destituídas de elementos idôneos de convicção. Sem dúvida, o caso em exame se enquadra nessa última hipótese”, argumentou Janot.
Fonte: Agência Brasil.

Modelo de privatização da Chesf inclui revitalização do São Francisco, diz Fernando Filho

Resultado de imagem para chesf

Alvo de críticas, principalmente nos Estados do Nordeste, a privatização da Chesf, dentro do processo de venda da Eletrobras, terá um modelo apresentado em setembro. O anúncio foi feito pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, nesta segunda-feira (11), durante visita ao estaleiro Atlântico Sul.
Ele afirmou que a proposta, que será apresentada não só para o presidente Michel Temer, como para toda a bancada do Nordeste e aos governadores, contemplará a revitalização do Rio São Francisco.
O que está sendo trabalhado é que se tenha, dentro desse processo, que parte dos recursos gerados a partir das usinas do Rio São Francisco, parte desses investimentos, retornem para a revitalização do próprio rio”, afirmou o ministro, acrescentando que nunca se trabalhou no processo de cuidado com o Rio”, disse o ministro.
 
Fonte: Folha de Pernambuco

Polícia Federal aponta que Temer recebeu R$ 31,5 milhões em propinas

 

O relatório conclusivo da Polícia Federal (PF) sobre o chamado ‘quadrilhão’ do PMDB da Câmara indicou que o presidente Michel Temer recebeu R$ 31,5 milhões de vantagens por participar da organização criminosa formada por políticos, que atuou na Petrobrás e na administração federal. As conclusões da PF, às quais o Estado teve acesso, foram encaminhadas hoje ao Supremo Tribunal Federal (STF). O relatório da investigação, que teve início em 2015, era aguardado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para finalizar a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer.
Para concluir que há indícios da formação de uma organização criminosa, a PF considerou no relatório que os peemedebistas investigados possuem poder sobre os demais membros do grupo e capacidade de repartir o dinheiro obtido através de práticas ilícitas como corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, fraude em licitação e evasão de divisas.
Foram indicados pela PF como nomes que participaram da organização criminosa, pela ramificação do PMDB da Câmara: o presidente Michel Temer, os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves; o ex-ministro Geddel Vieira Lima; e os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha.
De acordo com a PF, Temer possuía poder de decisão do PMDB da Câmara para indicar pessoas para cargos estratégicos e também para fazer a articulação com empresários beneficiados nos esquemas e receber valores de doações eleitorais. Para os policiais federais, o presidente conta com terceiros para atuar no controle do grupo político. Nesse cenário, os ministros Moreira Franco e Padilha e o ex-ministro Geddel seriam “longa manus” de Temer para obter recursos de empreiteiras e grandes empresas, como a JBS.
Ao quantificar a vantagem indevida que Temer teria recebido, a PF elenca R$ 31,5 milhões, sendo R$500 mil por meio de Rodrigo Rocha Loures, R$ 10 milhões da Odebrecht, R$ 20 milhões do contrato PAC SMS da diretoria de Internacional da Petrobras e R$ 1 milhão entregue ao coronel João Baptista Lima Filho, amigo pessoal do peemedebista.
A PF cita ainda o repasse de R$ 5,4 milhões para a campanha de Gabriel Chalita, dinheiro que teria sido solicitado por Temer. No caso envolvendo a campanha de Chalita, contudo, o presidente não é citado o remetente dos valores. Os investigadores apontam ainda que foram feitas doações oficiais e em sistema de caixa dois para Paulo Skaf, em 2014, após o candidato ser apadrinhado por Temer para campanha ao governo de São Paulo.
A investigação mostrou, no entendimento da PF, que na organização hierárquica do PMDB da Câmara Temer seria uma figura semelhante a Eduardo Cunha. Para os investigadores, enquanto Cunha desenvolvia a parte obscura das negociações, Temer tinha como função oficializar os atos praticados pelo ex-deputado atualmente preso em Curitiba.
A conclusão dos trabalhos da polícia vai permitir que Janot finalize a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. O procurador-geral pretende enviar ainda nesta semana – a última de seu mandato à frente da Procuradoria-Geral da República – uma denúncia contra Temer por formação de organização criminosa. Para isso, a equipe de Janot aguardava a conclusão dos trabalhos da polícia. Temer será denunciado ao lado de seu grupo de aliados.
Em agosto, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato, rejeitou o pedido de Janot para incluir o nome de Temer na investigação do “quadrilhão” do PMDB da Câmara. O ministro, no entanto, permitiu que houvesse compartilhamento de informação dos dois inquéritos. A PF aponta no relatório que com isso foi possível ampliar do objeto do inquérito e que recebeu a autorização do ministro para incluir Temer na investigação.
Respostas
O presidente Michel Temer e os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Eliseu Padilha (Casa Civil) rebateram nesta segunda-feira (11) as conclusões da PF em inquérito conhecido como o “quadrilhão” do PMDB da Câmara dos Deputados. Segundo relatório final da PF, há indícios de prática de corrupção por parte de Temer, Moreira e Padilha. O documento foi encaminhado ao Supremo Tribunal Federal e pode embasar nova denúncia da Procuradoria Geral da República contra Temer. O presidente afirmou que “não participou nem participa de nenhuma quadrilha” e que “lamenta insinuações descabidas com intuito de tentar denegrir sua honra e imagem pública“. Moreira Franco disse que “repudia a suspeita” levantada pela PF e que “nunca participou de qualquer grupo para prática de ilícito”. Eliseu Padilha não quis se pronunciar.
Fonte: Estadão.

Univasf abre seleção de estágio na área de Tecnologia da Informação

 
A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) está com inscrições abertas para a seleção de um estagiário para atuar no Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PRPPGI). A vaga é destinada a estudantes de graduação matriculados a partir do 4º período na área de Tecnologia da Informação. As inscrições devem ser realizadas até o dia 20 de setembro.
Para se inscrever, os interessados devem enviar um e-mail para o endereço nit.univasf@gmail.com, com o assunto “inscrição” e incluir como anexos o histórico escolar, comprovante de matrícula no semestre corrente e curriculum vitae. Dentre os conhecimentos necessários para o estágio estão: facilidade para leitura, interpretação e escrita de diagramas UML; programação orientada a objetos na linguagem JAVA; e modelagem de banco de dados relacional.
O processo seletivo será composto por avaliação curricular, entrevista e prova prática. A entrevista e prova serão realizadas no laboratório de computação básica, localizado no prédio dos colegiados do Campus Juazeiro. O resultado final será divulgado no dia 4 de outubro. A vigência do estágio será de um ano e o estagiário receberá bolsa mensal de R$364,00 além do auxílio transporte de R$132,00. Mais informações podem ser consultadas no Edital Nº 2/2017 ou através do telefone (74) 2102-7657.
Cronograma:
Inscrição: até 20 de setembro
Análise curricular: 21 de setembro
Divulgação dos classificados: até 23 de setembro
Entrevista e prova com os classificados: até 25 de setembro
Resultado Final: até 30 de setembro
Início das atividades: 10 de outubro
Ascom

Ministro quer antecipar conclusão da Transposição do São Francisco

Ministro Helder Barbalho visitou obra da Transposição em Cabrobó / Divulgação/Ministério da Integração

 

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, esteve ontem no município sertanejo de Cabrobó para vistoriar as obras do Eixo Norte da Transposição do São Francisco e disse que a meta é antecipar prazos nessa reta final do projeto, que começou a ser construído em 2007. Pelas contas do ministro, a previsão é que as águas cheguem na última estrutura do Eixo Leste no final do primeiro semestre de 2018. Questionado sobre a entrega da água à população, que no caso de Pernambuco depende da Adutora do Agreste, o ministro se limitou a dizer que está em diálogo com a Compesa, mas não falou sobre agilizar a liberação de recursos para a obra.
“Nossa meta é antecipar os prazos. Estamos trabalhando para que a água chegue ao reservatório de Jati até o final de janeiro do próximo ano, garantindo a funcionalidade ao Estado do Ceará, já atendendo Pernambuco e seguindo rumo à Paraíba e ao Rio Grande do Norte. A previsão é de que até o final do primeiro semestre de 2018 as águas estejam na última estrutura do Eixo Norte em direção ao estado potiguar”, explicou Helder Barbalho.
 Com orçamento total de R$ 9,6 bilhões, a obra da Transposição já recebeu recursos da ordem de R$ 9,2 bilhões. Em março deste ano o Eixo Leste entrou em pré-operação e o Eixo Norte está com 94,96% de execução. Os dois eixos (Norte e Leste) da integração vão garantir o abastecimento de água de 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos Estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O projeto tem 477 quilômetros de extensão.
ADUTORA DO AGRESTE
Responsável por levar a água da Transposição até as torneiras da população, a Adutora do Agreste ainda está com 55% de execução e depende de R$ 579 milhões para ser concluída (de um total de investimento de R$ 1,2 bilhão). Este ano só recebeu R$ 56,5 milhões em função do contingenciamento de recursos do governo Federal.
Fonte: JC Online

PF diz ter provas de crimes cometidos por Temer e cúpula do PMDB; citados negam

D

Polícia Federal (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 

Inquérito da Polícia Federal (PF) concluído ontem (11) apresenta indícios da prática de crimes por parte do presidente Michel Temer e demais integrantes do chamado “grupo do PMDB da Câmara”, segundo nota divulgada nesta segunda-feira pela PF. De acordo com as investigações, o grupo seria composto pelos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria de Governo, Moreira Franco, além dos ex-ministros Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves, e do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha.
De acordo com a PF, a cúpula do PMDB mantinha “estrutura organizacional com o objetivo de obter, direta e indiretamente, vantagens indevidas em órgãos da administração pública direta e indireta”. Ainda segundo o inquérito, que será enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o grupo praticou os crimes de corrupção ativa, passiva, lavagem de dinheiro, fraude em licitação e evasão de divisas.
Outro lado
Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República informou que Temer “não participou e nem participa de nenhuma quadrilha”. “O presidente tampouco fez parte de qualquer estrutura com o objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagens indevidas em órgãos da administração pública. O presidente Temer lamenta que insinuações descabidas, com intuito de tentar denegrir a honra e a imagem pública, sejam vazadas à imprensa antes da devida apreciação pela Justiça”, diz a nota.
A assessoria de imprensa do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, informou que ele só irá se pronunciar “quando e se houver acusação formal contra ele que mereça resposta”
Também por meio da assessoria de imprensa, o ministro Moreira Franco afirmou que jamais participou de qualquer grupo para a prática de ato ilícito. “Repudio a suspeita. Responderei de forma conclusiva quando tiver acesso ao relatório do inquérito. Lamento que tenha que falar sobre o que ainda não conheço. Isto não é democrático”, diz a nota.
Henrique Eduardo Alves divulgou nota em que diz que faz parte do PMDB há mais de 40 anos e não de uma organização criminosa. “A tentativa de criminalizar a atividade política enfraquece a democracia e a sua inocência será provada ao longo do processo”, disse.
Defesas de Geddel e Cunha foram procuradas e não responderam a reportagem até o fechamento desta edição
Presos
Eduardo Cunha, Henrique Eduardo Alves, Geddel Vieira Lima estão presos após investigações da Operação Lava Jato. Cunha está preso em Curitiba, por ordem do juiz Sérgio Moro, desde 19 de outubro de 2016. Em março de 2017 foi condenado a 15 anos e quatro meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas e, em 18 de maio de 2017, teve novo mandado de prisão expedido pela Justiça.
Eduardo Alves foi preso preventivamente no dia 6 de junho de 2017 pela Polícia Federal na Operação Manus, que investigava corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, em Natal.
O ex-ministro Geddel Vieira Lima voltou a ser preso, na última sexta-feira (8), em Salvador, três dias após a Polícia Federal encontrar mais de R$ 51 milhões, atribuídos a ele, em um apartamento. Anteriormente, ele havia sido preso preventivamente no dia 3 de julho de 2017, na Operação Greenfield, que investiga desvio de fundos de pensão.
Fonte: Agência Brasil.

Juazeiro: Lei proíbe música que incentive a violência contra as mulheres, homofobia e discriminação

 

A Câmara Municipal de Juazeiro aprovou na Sessão Ordinária desta segunda-feira (11.09), o Projeto de Lei N° 3.339/2017, que proíbe os artistas contratados pelo Município de executarem músicas, danças ou coreografias que incentivem a violência contra as mulheres, manifestem homofobia ou discriminação racial.
O projeto é fruto de amplo debate com a Prefeitura de Juazeiro, Ministério Público, Conselhos municipais e instituições da sociedade civil organizada. Começou a ser discutido em março deste ano pelo vereador licenciado e Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária (ADEAP), Tiano Félix (PT), recebeu o apoio, como coautoria do vereador Charles Leal (PDT).
Outros Projetos
Foram aprovados, também por unanimidade, o Projeto de Lei Nº 3.334/2017, do vereador Aníbal Araújo (PTC), que denomina o calçadão na Rua 05, do bairro Alto do Cruzeiro, Genivaldo da Conceição Silva e o Projeto de Nº 3.335/2017, de autoria do vereador, Joseilson Marcelino (PTB), que dispõe sobre adaptação de sinais sonoros nos semáforos instalados na área urbana de Juazeiro.
Ao final da sessão por proposta do Presidente Alex Tanuri (PSL), vereadores e assistentes fizeram um minuto de silêncio em homenagem à mãe da Vereadora Tia Célia (PTC). A mãe da vereadora faleceu sábado (09/09).
Fonte: Blog Edenevaldo Alves